Um dos adoçantes naturais mais utilizados por quem está de dieta, a stévia ou estévia não possui calorias, é 300 vezes mais doce que o açúcar e pode substituí-lo em bebidas e receitas. Também conhecida como açúcar verde e capim doce, é uma extraída da planta Stevia Rebaudiana, nativa da América do Sul, e foi descoberta em 1905 pelo botânico suíço Moisés Santiago de Bertoni. Atualmente, é comercializada em forma líquida, comprimidos ou em pó. A marca de adoçantes Finn reuniu algumas curiosidades sobre a stévia.

Adoçante de stévia é saudável?

1 – Os orientais são grandes estudiosos das propriedades da stévia. Eles a utilizam não só para adoçar, mas também seu extrato integral para fins medicinais.

2 – A planta tem origem na região da fronteira do Brasil com o Paraguai e é chamada pelos índios guaranis de “caa-hee”, que significa “erva doce”. Na medicina popular, eles utilizam as folhas para tratar doenças do estômago, além de mastigá-las como uma guloseima doce.

3 – Ao contrário do que muita gente pensa, a stévia não é uma novidade. Em 1952 pesquisadores dos Estados Unidos já haviam confirmado se tratar do produto natural mais doce já encontrado.

4 – No Japão, os extratos da stévia já são utilizados há mais de 25 anos por milhões de pessoas. Atualmente, vem sendo muito utilizada também em pães, cereais, sorvetes, iogurtes, refrigerantes e outros produtos.

5 – É muito indicada para quem precisa reduzir o consumo de açúcar, como os diabéticos e os que querem perder peso. Mas não possui contraindicação e pode ser consumida por todas as pessoas que querem ter hábitos mais saudáveis, inclusive crianças e gestantes.

6 – Um dos pontos positivos da stévia é o fato de ser totalmente metabolizada pelo organismo e não ficar acumulada no fígado ou nos rins. De acordo com alguns estudos, ela também é benéfica na regulação da glicemia e da hipertensão.

7 – Tem sido adotada também por pessoas que têm uma filosofia de vida mais natural, como o naturalismo, crudivorismo e veganismo.

8 – É o único edulcorante – substâncias naturais que substituem o açúcar – de origem vegetal produzido em escala industrial.

9 – O uso da stévia é certificado pelo JECFA (comitê científico internacional de especialistas em aditivos alimentares administrado pela FAO e pela OMS) desde 1998.

10 – Mesmo não havendo restrições ao consumo de stévia, é preciso ter atenção aos limites seguros do consumo de substâncias adoçantes. A IDA – Ingestão Diária Aceitável – da stévia é de 4 mg/kg por dia.


Fonte: https://www.vix.com/pt/bdm/corpo/10-beneficios-da-stevia-para-perder-peso-e-ganhar-saude